Teatro: Não há maior amor...


ZICO: Oi, Maria! Olha só a bola novinha que eu ganhei! Vocês,não querem jogar um pouquinho?
ZECA: Xi! Ficou tudo escuro por aqui! Sai pra lá com essa bola, seu carvão. Ninguém quer brincar, não.
MARIA: Zeca, não precisa falar assim com ele. Você é tão mau! O Ziquinho é meu amigo.

ZECA: Eu falo mesmo, eu não gosto de menino preto!
MARIA: Não liga não, Ziquinho!
ZICO: Eu não ligo não, eu sou pretinho mesmo. Ainda mais preto é o coração dele.
MARIA: Quero saber o que o Ziquinho fez com você.

ZECA: Não fez nada, mas eu não gosto dele. Vamos brincar, Maria?
MARIA: Zecà, eu não vou brincar com você! Vou brincar com o Ziquinho, tchau!

(ZICO E MARIA SAEM DE CENA, E ZECA FALA SOZINHO) I
ZECA: Maria, volta aqui! O meu carrinho é mais bonito, vamos brincar!

(ZECA SAI DE CENA, ENTRAM ZICO E MARIA)
ZICO: Pôxa, Maria, você é muito bacana. Você sabe ser amiga de verdade.
MARIA: O Zeca precisa aprender a amar as pessoas como elas são. Você não ficou zangado não né?

ZICO: Não. Eu sei que Deus me ama assim como eu sou. Se ele quisesse, poderia me fazer diferente, mas ele achou que eu iria ficar lindinho assim, queimadinho
MARIA: É mesmo! Sabe, o importante não é a cor, mas o coração. As pessoas precisam ter um coração bom.

ZICO: Vamos brincar?
MARIA: Vamos! Que bola bonita heim! (saem de cena, entra o Zeca)

ZECA: Maria, Mariaaaaaaaa!
MARIA: oi, Zeca! É você que está me chamando?
ZECA: Puxa Maria! Você não quis brincar comigo?
MARIA: Olha aqui, Zeca, eu não gostei nada do que você falou do meu amigo Ziquinho. Quero lhe dizer que você precisa amar as pessoas do jeito que elas são.

ZECA: Eu amo! Só que eu não gosto de pretinho.

MARIA: Amar é amar a todos! E você já pensou se fosse você que estivesse no lugar dele e não gostassem de você? Como se sentiria?

ZECA: Não quero pensar nisso agora.

MARIA: Você precisa pensar, sim. Se você não quiser ser amigo dele, eu não serei sua amiga. Zeca, foi Deus quem fez todas as coisas. Ele fez você brancão porque achou que você fica mais bonito assim. Fez o Ziquinho pretinho, porque achou mais bonitinho. Deus não faz distinção entre as pessoas. Ele ama a todos de uma maneira especial. Não existe maior amor. Zeca, sabe de uma coisa...
ZECA: o que Maria?
MARIA: No céu só tem uma porta para entrar.

ZECA: Uma porta?
MARIA: E, uma porta. E já pensou quando você for entrar naquela porta e não quiser ver o Ziquinho? Você não vai entrar, porque ele estará lá dentro! Então, vai ficar do lado de fora?!

ZECA: É, eu não tinha pensado nisso,
MARIA: Não há maior amor que o de Deus por nós. Mas, Zeca, você precisa pedir perdão ao Ziquinho e a Deus. O Senhor o ensinará a amar o próximo, porque aquele que não ama não conhece a Deus. Deus é amor: E o seu coração precisa ficar branquinho, sem pecado.

ZECA: Que grande amor Deus tem por nós Maria!
MARIA: E não há maior amor que o dEle, a ponto de dar o seu único filho, Jesus, para morrer por nós na cruz e nos salvar. Ele não morreu só por mim, mas por todos, os brancos, amarelos, negros mulatos, ...

Zeca : vamos lembrar da história, vamos ver um filme?
Todos: Ehehehe... Vamos.
Zeca : Tia... mostra pra gente, éh, põe o vídeo aí.
Tia...: Crianças, todos quietinhos, sem fazer barulho, prestando atenção que depois eu vou perguntar, 'tá bom?


Vc pode acrescentar aqui um vídeo contando a história da Páscoa.
Pode ser esse:
http://www.youtube.com/watch?v=NVU4uFTLKHQ&feature=related (morte)
http://www.youtube.com/watch?v=Bo4FI8PqQSI&feature=related (ressurreição)
na sequência:


ou se tiver mais tempo de programação, podem ser esses, são melhores:


http://www.youtube.com/watch?v=Mava16pWIg8&feature=related (parte 1)
http://www.youtube.com/watch?v=cJhtb6jcdKw&feature=related (parte 2)
http://www.youtube.com/watch?v=mHwVztH5DQA&feature=related (parte 3)




ZECA: Ninguém tem maior amor que o nosso Deus, mesmo.

MARIA: Jesus é maravilhoso. Que amigo nós temos, né? Morrer no nosso lugar.
ZECA: É mesmo. Olha, Aí vem o Ziquinho.

MARIA: Olha lá, Zeca! Só quero ver!
ZECA: Tá bom, Maria! Eu agora entendi e acho que você tem razão. Eu preciso amar o Ziquinho, senão o meu coração estará cheio de pecados e não poderei ir para ,o céu.

ZICO: Oi Maria! Tudo bem por ai?
MARIA: Tudo, Ziquinho! O Zeca quer falar com você.

ZICO: Esse branquelo quer falar o quê comigo? Ele quer me ofender?
MARIA: Calma, Ziquinho, ele quer lhe pedir desculpas.

ZICO: Pedir o que? Desculpas?
ZECA: É, desculpas! Eu preciso aprender a amar as pessoas, mas nao me chama de branquelo que eu não gosto.

MARIA: Viu, Zeca, assim como não é bom que as pessoas caçoem de nós, não devemos caçoar de ninguém. Ser negro não é defeito!
ZICO: Zeca, eu já te perdoei. Desculpe-me também por te chamar de branquelo.
ZECA: Ah! Ah! Ah! Zico, eu tão feio que sou e tenho uma pessoa que me ama assim como sou, mesmo chamando as pessoas de feias, sem olhar os meus defeitos...
ZICO: Ainda bem que temos alguém que nos ama muito, não é?
MARIA: Não há maior amor.

Teatro: Noite de Natal (Nascimento de Jesus)


Tipo: jogral
Personagens: José, Maria, 2 pastores, 2 hoteleiros, 3 reis. Narrador.

NARRADOR:
Há muitos anos atrás, em uma cidade da Galiléia chamada Nazaré, havia uma jovem que se chamava MARIA... jovem obediente à Deus, e que tinha um coração bom e limpinho... e Deus lá do céu, se agradou de Maria, e a escolheu para ser a mãe do menino Jesus (aquele que seria o salvador do mundo)... Um dia, um lindo anjo, enviado por Deus, trouxe uma mensagem para Maria...e o anjo disse assim:

Anjo :
(Uma criança, vestida de branco entra na cena, ergue os braços e os mantém erguidos enquanto o narrador ou outra criança fala):
"SALVE AGRACIADA, O SENHOR É CONTIGO: BENDITA ÉS TÚ ENTRE AS MULHERES - NÃO TEMAS!!! PORQUE ACHASTE GRAÇA DIANTE DE DEUS,... EIS QUE DARÁ A LUZ UM FILHO E POR-LHE-ÁS O NOME DE JESUS, ESTE SERÁ CHAMADO FILHO DO ALTÍSSIMO, E O SEU REINO NÃO TERÁ FIM..."

Narrador:
Mas José, o noivo de Maria ficou muito confuso com aquela situação, afinal de contas eles não eram casados... então como Deus gosta de tudo direitinho, mandou uma mensagem para José também... e o anjo do Senhor apareceu para José em sonho e lhe disse.:
Anjo:
(Outra criança, representando José, entra e deita para dormir. )
"JOSÉ FILHO DE DAVÍ, NÃO TEMAS RECEBER MARIA TUA MULHER, PORQUE O QUE NELA ESTÁ GERADO É DO ESPÍRITO SANTO, E DARÁ A LUZ UM FILHO E CHAMARÁS O SEU NOME JESUS, ...PORQUE ELE SALVARÁ O SEU POVO DOS SEUS PECADOS.. "

Narrador:
E José, confiou nas palavras do anjo, pois sabia que ele era enviado por Deus, e José amava a Deus, e confiava nas suas palavras e promessas.....
Passou-se algum tempo.... e agora a barriguinha de Maria já estava grande,... mas eles precisavam viajar para Belém, para alistar-se na cidade onde nasceram, pois esta era a ordem do Rei,... E lá se foram, José, Maria e o menino Jesus ainda dentro da barriguinha de Maria, iniciaram então uma longa viajem... Ao chegarem em Belém, encontraram a cidade completamente cheia de pessoas vindas de todas as partes para alistar-se alí... Maria cansada, e quase para dar a luz.... escorava-se em José, e lá iam os dois à procura de uma quarto ou um lugar onde Maria pudesse descansar um pouco,... mas era inútil a procura,... ...tudo lotado, as hospedarias estavam cheias, e todos diziam:

Todos os participantes da peça:
"NÃO HÁ LUGAR"

Narrador:
quando em uma certa hospedaria alguém falou,...

Uma das responsáveis pela estrebaria:
(2 ou 3 meninas representam a hospedaria; podem varrer o chão e tirar o pó de um canto do "palco". )
... TALVEZ TENHAMOS UMA LUGARZINHO AQUI NA ESTREBARIA,... TALVEZ AQUI DÊ PARA VOCÊS DESCANSAREM UM POUCO...... É SÓ O QUE PODEMOS LHES OFERECER....."

Narrador:
E lá foram para estrebaria (lugar onde ficam os animais)... ERA O ÚNICO LUGAR, UMA SIMPLES E HUMILDE ESTREBARIA, e Maria, alí na estrebaria deu a luz, ao menino Jesus, o Salvador do Mundo, o Rei dos Reis e Senhor dos Senhores...
(Pastores)
E lá no campo, estavam os pastores, cuidando de seus rebanhos, quando um anjo lhes apareceu... e lhes deu a notícia do nascimento do menino Jesus, o Salvador do mundo, o perfeito filho de Deus... E lá foram os pastores, ao encontro do menino Jesus; que alegria deveriam estar sentindo em seus corações, deixaram para trás o cansaço e saíram apressadamente....
(Reis Magos)
Em um outro lugar, Deus mandava que uma estrela, guiasse também os Reis Magos até Belém, para que encontrassem o menino Jesus e o adorassem... e a estrela obediente ensinou-lhes o caminho...
- Agora sim, estava completa aquela linda noite.... José, Maria, os pastores e os reis magos, ah... sem contar os animaizinhos, todos adoravam ao menino Jesus, deitado em uma simples manjedoura, mas que seria o Salvador do mundo, o Rei dos Reis e Senhor e dos Senhores...

Todos falam:
"JESUS NASCEU, ASSIM SE FEZ A NOITE DE NATAL"
FIM

Música de encerramento
Pode ser cantada pelo coral de crianças ou pelos próprios participantes da peça ou pela igreja toda.
"O Sentido do Natal" ou "Noite Feliz"

Observação:
Sabe-se que os Reis magos chegaram tempos depois. Então quem desejar adaptar a peça fique à vontade.

Teatro - HOMEM BÍBLIA


Pedro: (adulto vestido de criança) usar a imaginação
Tonho: (adulto vestido de criança) usar a imaginação
Carlinhos: (adulto vestido de criança) usar a imaginação
Mãe: Mãe do Carlinhos (senhora)
HB: (Homem Bíblia): (fantasia de Super Herói) Usar a Imaginação

Dois amiguinhos Pedro e Tonho, entram em cena conversando sobre super heróis
Pedro: Será quem é mais forte o Super Homem ou o homem Aranha?
Tonho: É claro que é o Super Homem! Ele é bem mais forte
Pedro: Ah!!! E mesmo...
"Os dois começam a brincar de super herói"
-Depois de Alguns minutos entra Carlinhos com uma Bíblia na mão-
Carlinhos: Hei?! De quê vocês estão Brincando?
Pedro: Você não está vendo que eu sou Homem Aranha e ele o Super Homem.
Carlinhos: Eu posso Brincar também?
Tonho: Mas você vai ser quem?
Carlinhos: Eu quero ser o Homem Bíblia.
Tonho e Pedro: Homem Bíblia?!!!
Pedro: Que é este Homem Bíblia?
Carlinhos: É o Super Herói mais forte e mais esperto que existe...
Pedro: Mas que o Homem aranha e Super Homem?
Carlinhos: Bem Mais...
Tonho: Deixa de mentira.
Carlinhos: Não estou mentindo não...
Pedro: E o que ele faz de especial que é mais forte que todos os super heróis?
Carlinhos: Ele te ensina a ter forças para vencer todo mal
entra a mãe de Carlinhos e o chama-
Mãe: Carlinhos! vamos logo que estamos atrasados para escola dominical
Carlinhos: Estou indo Mamãe. Ate mais pessoal
Pedro: Carlinhos me explica uma coisa. Quando o Super Homem vem ajudar agente ele aparece quando estamos precisando e o Homem aranha quando ele percebe que há perigo e o Homem bíblia o que ele faz. Como ele aparece?
Mãe: Carlinhos! vamos...
-Carlinhos saindo diz-
Carlinhos: E só você chamar...
Carlinhos sai de cena
Pedro: Tonho será que este tal Homem Bíblia existe mesmo ou ele ta mentido?
Tonho: Eu duvido, não existe ninguém mais forte que o Super Homem
Pedro: Já sei vamos chamar e vê o que acontece
Pedro e Tonho: (gritam) Homem Bíblia !!!
Depois de algum tempo-
Tonho: Ta vendo era mentira do Carlinhos. Chamamos e não aconteceu nada
Os dois Voltam a Brincar e em seguida entra o Homem Bíblia
HB: Olá crianças foi aqui que me chamaram
Tonho e Pedro:Você é o Homem Bíblia!!!
HB: Sim sou eu mesmo
Pedro: Então você existe mesmo?
Tonho: Claro que ele existe você não está vendo ele ai...
Pedro: então você é o Herói mais forte que existe?
HB: Não eu não sou eu represento o Herói mais forte do mundo.
Tonho: Deixa vê se eu entendi, você não é o Homem mais forte do mundo
Pedro: Claro que ele não é o Homem mais forte do mundo ele é o homem mais forte do universo...
HB: Também não eu represento o Herói mais forte de todo o universo.
Pedro: Então que é este Super Herói?
HB: Ele se Chama Jesus Cristo. Jesus é mais forte que qualquer Super Herói que vocês conhecem.
Tonho: Mais que o Homem aranha e O Super Homem?
HB: Muito Mais forte... Sabe ele Venceu o Diabo... Mas eu estou aqui hoje não só porque vocês me chamaram...
Pedro: Não! Então porque que você está aqui?
HB: Jesus me pediu para perguntar a vocês se você estão lendo a Bíblia? Se estão indo a escola Dominical e também se estão obedecendo seus Pais? E principalmente se estão orando?
Pedro: HB me responde uma coisa? Todos os Super Heróis tem inimigos. Certo?
HB: Certo
Pedro: Então que é o inimigo de Jesus?
HB: O inimigo de Jesus e o Pecado. A bíblia diz que você tem que fugir do pecado.
Tonho: E como nós podemos fugir do pecado?
HB: Não falando mentira, obedecendo ao papai e a mamãe, indo a igreja, lendo a bíblia e falar de Jesus para os colegas da escola, não faltando à escola dominical e principalmente está orando por todos.
Agora eu preciso ir mas antes eu fazer algumas perguntas sobre a nossa conversa de hoje
Quem é o maior Super herói que existe?
Que é o inimigo de Jesus?
O que temos que fazer para vencer o Pecado?
Que Deus abençoe a Todos
Fim

Frases que não devem ser ditas a uma criança


Atenção pais, cuidado com o que sai da sua boca!

Muitas vezes, quando os pais vão dar uma bronca nos filhos, não prestam atenção nas palavras. Assim acabam usando expressões contundentes e como conseqüência criam traumas nas crianças.
Baseado em entrevistas com pais e especialistas, o professor e psicólogo americano Charles Schaefer, da Dickinson University, elaborou uma lista de frases que não devem jamais ser ditas às crianças.

1."Você é um mau menino".
2."Sacrifico minha vida pessoal para cuidar do meu filho, espero que ele reconheça isto".
3."Eu prefiriria que você não tivesse nascido".
4."Você nunca vai ser nada na vida".
5."Seu pai(sua mãe) e eu estamos nos separando por sua causa".
6."Quando eu era da sua idade, voltava da escola e pé e ainda ajudava minha mãe a cuidar da casa."
7."Por quê você não é como seu irmão?".
8."Você está agindo como um bebê. Devia sentir vergonha disso".
9."Se fizer isso de novo, vou chamar a polícia e mandar lhe prender".
10."Faço tudo por você e não recebo nada em troca".
11."Eu não acredito que esteja com medo desse cachorrinho tão manso"

Antes de começar a ensinar devemos saber...


O que todo pai ou educador deve saber antes de começar a ensinar.
A sensibilidade de uma criança é muito acentuada e assim sendo, qualquer estado emocional do adulto será por ela percebido e vai influir em sua formação.

1.Pai, não me dê tudo que peço. Às vezes peço somente para obter, para compensar, para chamar a atenção.
2.Não me dê ordens. Se ao invés de ordens me pedisse as coisas com firmeza e carinho eu as faria rapidamente e com muito mais alegria.
3.Não me faças promessas. Se me prometer um prêmio, dê-me, mas também dê-me o castigo, se prometido.
4.Não me corrija as faltas diante dos outros, ensina-me a ser melhor quando estivermos sozinhos e com o seu exemplo.
5.Não me compare com ninguém, principalmente com meu irmão ou irmã. Se me fizer sentir pior que os outros eu sofrerei muito mais.
6.Não grite comigo. Respeito-o mais quando você fala comigo, e não me faça gritar também.
7.Deixe-me andar com meus próprios pés, ter minhas próprias emoções. Se você fizer tudo por mim, eu jamais terei a alegria de poder aprender.
8.Quando estiver enganado em alguma coisa, admita-o, pois crescerá muito mais a minha estima por você, e isso me ensinará a reconhecer os meus próprios erros.
9.Trate-me com a mesma amabilidade e cordialidade com que trata seus amigos, assim, aprenderei com você o respeito e a amizade.
10.Eu aprendo muito vendo seu comportamento diário diante de tudo. Isso é a base de toda formação do meu futuro caráter. Lembre-se que meus ouvidos escutam melhor a quem admiro mais, você. Então fique atento aos seus atos diante de mim.
11.Quando eu estiver atravessando momentos difíceis, ajude-me. Tente me compreender. Demonstre o seu amor por mim. Gosto de sentir que sou amado. Preciso de segurança para crescer.
Atenda meus pedidos, pois só assim serei capaz de ser feliz.

Teatro: Um Sonho de Natal

Personagens: dona de casa, mulher com frio, mulher com fome, ex-presidiária

Cenário: sala de uma casa, mesa, cadeiras, Bíblia em cima da mesa, na parede um calendário

Material a ser usado no decorrer da peça: toalhinha de centro de mesa, jarra com flores,flanela de limpeza, toalha de mesa grande, 2 pratos, talheres, copos, um refratário com alimento, um agasalho

DONA DE CASA - (entra em cena, olha o calendário) - Hoje é dia 24 de dezembro! Como passa rápido o tempo! - (para um pouco, pensativa) - Tive um sonho esta noite... Sonhei que Jesus vinha me visitar... Foi tão real!! Eu gostaria mesmo que fosse verdade. No Natal todos têm a casa cheia de parentes, muita festa, muita comida... mas eu estarei sozinha, ninguém virá a minha casa. Meu esposo, meus pais, meus irmãos ... todos Deus levou. Meu filho mora em outra cidade, longe daqui, e vai passar o Natal com a família da esposa. Está certo! Não estou reclamando. Filho são presentes preciosos que o Senhor nos dá. Temos que cuidar bem deles, alimentá-los, cuidar de sua saúde, dar-lhes instrução, e principalmente ensiná-los no caminho do Senhor. Graças a Deus fiz tudo isso, tenho minha consciência tranqüila. Hoje, meu filho é diácono na igreja dele. Mas... quando os filhos casam, eles formam outra família e têm que viver a vida deles.
- para um pouco, pensativa - Eu gostaria muito que Jesus viesse passar o Natal comigo... Quem sabe ele virá mesmo!? Já sei! Vou arrumar a casa para recebêlo, arrumar a sala, o seu quarto e depois vou preparar uma ceia gostosa para ele. Farei o melhor que puder!Afinal, Jesus é o meu Salvador, o meu Rei,o Senhor da minha vida! Ele merece o melhor!
- arruma a mesa da sala, tira a poeira e sai de cena dizendo que vai arrumar o quarto e e depois vou preparar uma ceia gostosa para ele. Farei o melhor que puder! Afinal, Jesus é o meu Salvador, o meu Rei, o Senhor da minha vida! Ele merece o melhor!
- arruma a mesa da sala, tira a poeira e sai de cena dizendo que vai arrumar o quarto e preparar a comida - depois de alguns instantes, batem à porta - dona da casa volta e atende quem chega

MULHER COM FRIO - Senhora, por favor, será que tem um casaco velho, ou um que não lhe sirva mais, para me dar? Começou a chover... Estou com muito frio!

DONA DE CASA - Logo agora? Estou tão ocupada! Espero a visita de alguém muito importante...
Mas também não posso deixá-la aí fora passado frio... Entre e sente-se um pouco para descansar, enquanto vou buscar um agasalho.
- sai de cena, depois de alguns instantes, volta com o casaco e dá à pobre mulher -

MULHER COM FRIO - Muito obrigada, senhora. Deus lhe pague e lhe dê um feliz Natal! (e sai)

DONA DE CASA - Espero que ninguém me interrompa mais. Ainda tenho tanto que fazer... terminar de assar o peru no forno, fazer a farofa, a maionese, a salada de frutas...
- sai de cena - ouve-se barulho de panelas, pratos, talheres - mais uns instantes e batem á porta - dona de casa volta para atender

MULHER COM FOME - Por favor, senhora, me ajude. Há três dias não como nada, estou tão fraca, acho que vou desmaiar... (e faz de conta que está caindo)

DONA DE CASA - Meu Deus! Mais essa! Estou tão ocupada! Daqui há pouco minha visita chega, e ainda não terminei de fazer tudo! - (para um pouco, depois socorre a mulher) - Venha, minha filha, vou ajudá-la. Entre, sente-se um pouco para descansar. Espere só um pouquinho que vou trazer-lhe uma comida gostosa, quentinha, água fresca... - (vai até o público, fala como que contando um segredo) - Acho que meu ilustre visitante não vai se importar de eu dar um pouco de sua comida para esta pobre mulher.
- sai de cena, depois volta com um prato de comida e um copo de água - senta-se à mesa também, enquanto a mulher finge comer - terminando, esta sai, agradecendo.

MULHER COM FOME - Muito obrigada, senhora! Que Deus lhe dê em dobro! Que a senhora seja muito feliz!

DONA DE CASA - (falando, enquanto recolhe prato e copo) - Já anoiteceu e Jesus ainda não veio... Vou me sentar para esperá-lo - (senta-se, toma a Bíblia que está na mesa e finge ler, quando novamente batem à porta) - Agora é Ele!!! - (vai correndo atender)

MULHER EX-PRESIDIÁRIA - Senhora, me perdoe estar incomodando a esta hora da noite... vi a luz de sua casa acesa e resolvi bater... sou ex-presidiária, por bom comportamento fui solta ontem, agora sou livre mas não tenho para onde ir. Estou procurando meus parentes, ou alguém que me dê um emprego... Será que posso dormir em sua casa esta noite? Qualquer cantinho serve... está chovendo, está frio... é só deixar eu ficar num cantinho abrigado, amanhã cedinho irei embora. Por favor... - (e começa a enxugar as lágrimas que correm de seus olhos)

DONA DE CASA - O dia todo esperei por uma visita muito importante. Arrumei a casa, preparei a melhor ceia de Natal, mas meu visitante não chegou. Acho que ele não vem mais. Entre! Vamos passar a noite de Natal juntas. Vamos comer e depois você irá dormir na cama fofinha que preparei para meu visitante.
- faz a mulher sentar-se à mesa - vai e volta, guarda a jarra de flores, traz a tolha de mesa, pratos, talher, copos, um refratário - arruma tudo e senta-se também

DONA DE CASA - Antes de comer, vamos ler a Bíblia. Hoje é Natal, o dia em que Jesus nasceu. Eu amo Jesus porque ele morreu na cruz por mim, e por você também, querida amiga (dirige-se à ex-presidiária). Entregue o seu coração a Ele e você nunca mais estará sozinha, Ele vai ajudá-la a resolver seus problemas. Creia de todo o seu coração, nada é impossível para Jesus
- toma a Bíblia e lê, em voz pausada e alta: Mt 25. 31-40 - ao terminar, as duas se abraçam e a dona de casa diz:

DONA DE CASA - Obrigada, Jesus! Agora entendo. Meu sonho se realizou: você não veio pessoalmente em minha casa, mas eu sinto a sua presença real aqui em meu coração! Este é o meu melhor Natal!
- entram as outras 2 mulheres e vão abraçar também a dona de casa, que se dirige ao público -

DONA DE CASA - Que isto possa acontecer em todos os lares, no Dia de Natal: Cristo estar presente como o convidado mais importante, abençoando toda a família!

Louvor "Louvor Angelical" (Hino 240 NC)
- Oração Final de Gratidão

Incentivos




Lição: O céu, destino e preparo

Esta lição é sobre o céu. A criança é muito curiosa sobre o céu e, por vezes, têm medo do pensamento, em um primeiro momento (especialmente porque o assunto envolve morte). Esta lição vai tentar ajudar a criança entender porque o céu é um lugar tão surpreendente e biblicamente responder a algumas perguntas: Como é o Céu? Quem pode entrar no Céu? E o que há no Céu?

Esperamos que após aprender sobre Céu, a criança deseje ardentemente ir ao encontro de Jesus esperando com alegria sua Volta.

A Bíblia nos conta como é o Céu - Texto Bíblico: Apocalipse 21.1-27

O Céu é a casa de Deus ( Dt 16.15 , 1 Rs 8.30 At 7.49). A Bíblia fala um pouco sobre o Céu e Deus nos deu algumas dicas sobre o que vai ser. No entanto, muita coisa ainda é um mistério para nós, porque Deus ainda está preparando este lugar para nós. Pelo menos é isso o que Jesus disse aos seus discípulos antes de ir para o céu.

Ele disse que estava preparando um lugar para nós, com muitos quartos ou mansões. O que me faz pensar que, se Deus criou o mundo e tudo e em torno dele em seis dias, quão especial e surpreendente o Céu será, se Ele está demorando mais do que isso? Se você pode pensar em uma bela montanha, cachoeira, ou mesmo a flor mais bonita que você já viu, imagine lugar ainda mais surpreendente do que isso! O Céu será maravilhoso!

Deus pode usar o material que Ele quiser para construir o Céu como ouro, diamantes e outras coisas incríveis que nunca vimos na Terra. Talvez por isso a Bíblia, não nos dá uma descrição completa do Céu, porque não seríamos sequer capazes de entender quão maravilhoso e belo ele o é. Agora que sabemos que o Céu é muito bom, vamos para lá?

Como podemos chegar ao céu e quais são algumas maneiras que nós podemos preparar-se para ir até lá? Não se preocupe você não precisa para fazer as malas. Na verdade Deus diz especificamente que não devemos gastar todo nosso tempo na terra, tentando coletar um monte de coisas, porque não podemos levar nada disso com a gente.

Pode parecer estranho, mas não vamos precisar de nenhum a de nossas coisas como a nossa boneca ou brinquedo favorito ou de um caminhão para fazer a mudança. Deus nos dará tudo o que precisamos e muito mais. Não vai ser chato no céu, porque Deus sabe o que precisamos , e está ficando tudo pronto para nós, do jeito que gostamos.

Respondendo a pergunta sobre como chegar ao céu, lemos na Bíblia dos discípulos de Jesus chamado Tomé perguntou a Jesus: “Não sei onde você está indo, então como podemos saber o caminho?” (João 14.05 ) Jesus respondeu: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida, ninguém vem ao Pai senão por mim”. Isso pode parecer estranho, mas o que Jesus estava dizendo é que se você acredita na Bíblia e acreditar que Jesus morreu e ressuscitou por você, então você acredita na verdade, e Ele o levará para o Céu.

Não só isso, as palavras que Deus nos deixa na Bíblia nos ajudará na vida agora, como um mapa que nos guiará no caminho certo e depois, eventualmente, para o céu. Por exemplo, Jesus diz que, ao ajudar os outros, alimentando-se eles estão com fome, visitar os doentes, dar roupas aos que não têm muito, e até mesmo por visitar as pessoas na prisão ou que fizeram coisas que são erradas. Quando fazemos essas coisas, é como se estivéssemos fazendo isso por Ele . (Mateus 25.31-46)

Ao ajudar os outros agora, Deus nos dará uma recompensa no céu. (Mateus 5.12) Uma dessas recompensas é uma coroa. A Bíblia diz que o Senhor recompensará cada pessoa de uma coroa de justiça quando chegarmos lá. Imagine só uma coroa! (2 Tm 4.8) Aleluia!
Mas como ir para o Céu? Há duas maneiras que podemos ir para o Céu:
A primeira forma é se nós morrermos, claro o pensamento da morte pode ser assustador (para adultos também), mas, se continuarmos a nos lembrar o quão grande é o céu, isto será muito bom. (Ec 8.8; Rm 5.12; Hb 9.27)
A segunda maneira é quando Jesus voltar, enquanto estamos vivos na terra. O que chamamos de Segunda Vinda.


Quando Deus decidir que é hora de todos os que crêem nEle vir para o Céu, Ele virá nos buscar. Ele diz na Bíblia que ninguém nunca vai saber quando isso vai ser, e ele virá, e todos nós vamos conhecer e ver Jesus. Haverá anjos e trombetas e vai ser muito emocionante para todos aqueles que acreditam. ( Mc 13.28-37; Mt 24.32-44; Lc 21.29-36)

Como é o Céu? (Professor use o material de apoio 2)
Ouça o que as crianças sabem sobre o Céu, abra a Bíblia com elas e direcione o ensino através das gravuras para entendam melhor o significado:

No Céu há:


Ruas de Ouro - O Céu é lindo e um versículo da Palavra de Deus que nos dá uma ideia. É o Apocalipse 21.21 “E as doze portas eram doze pérolas... A praça da cidade é de ouro puro.” Mais do que isso, o céu é um lugar de alegria. Ninguém fica doente no Céu. Não há dores, nem sofrimentos, nem tristezas. Melhor ainda, ninguém morre no Céu. “E Deus enxugará dos olhos as lágrimas e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor” (Ap 21:4) Somente Deus poderia criar um lugar tão maravilhoso. Você já sabia que Deus o ama tanto que quer que você esteja no Céu com Ele para sempre? Quando o Senhor Jesus voltou para o céu depois de morrer na cruz e ressuscitar dos mortos, Ele disse que ia preparar um lugar para nós. E Deus quer você lá com Ele para ser feliz eternamente.

Livro da Vida- O "Livro da Vida" é mencionado várias vezes na Bíblia (veja Filipenses 4:3; Apocalipse 3:5; 13:8; 17:8; 20.12,15; 21:27). Paulo disse que as pessoas que cooperavam com ele no evangelho tinham seus nomes escritos no Livro da Vida (Filipenses 4:3). Jesus disse que os nomes dos vencedores que se mantêm puros não seriam apagados deste livro (Apocalipse 3:5). Em contraste, os que rejeitam a palavra de Deus e servem falsos mestres não têm seus nomes escritos no Livro da Vida (Apocalipse 13:7-8; 17:8).No julgamento descrito em Apocalipse 20:11-15, esses são condenados ao lago de fogo. Por outro lado, na cidade iluminada pela glória de Deus, somente entram aqueles cujos nomes são inscritos no Livro da Vida (Apocalipse 21.27).
Jesus –“E, depois que eu for e preparar um lugar para vocês, voltarei e os levarei comigo para que onde eu estiver vocês estejam também.” João 14.3

Anjos – Apocalipse 5.11 “E olhei, e vi a voz de muitos anjos ao redor do trono e dos seres viventes e dos anciãos; e o número deles era miríades de miríades e milhares de milhares.”

Árvore da vida- Apocalipse 22.14-15 - Bem- aventurados aqueles que lavam as suas vestiduras no sangue do Cordeiro, para que tenham direito à árvore da vida e possam entrar na cidade pelas portas.


Mansões- Lugar para todos: João 14.1-3

No Céu NÃO há:

Professor mostre as gravuras e vá colocando dentro da lixeirinha . Explique que tudo isso Deus pode devemos descartar na nossa vida.

Pecado: Apocalipse 21.8 - Mas, quanto aos tímidos, e aos incrédulos, e aos abomináveis, e aos homicidas, e aos fornicadores, e aos feiticeiros, e aos idólatras e a todos os mentirosos, a sua parte será no lago que arde com fogo e enxofre, o que é a segunda morte.

Sol, Lua e Noite - Apocalipse 21.23-27 - E a cidade não necessita de sol nem de lua, para que nela resplandeçam, porque a glória de Deus a tem alumiado, e o Cordeiro é a sua lâmpada.

Nem morte, nem dor (doença) e nem choro -
“E Deus enxugará dos olhos as lágrimas e a morte já não existirá, já não haverá luto, nem pranto, nem dor” (Ap 21.4).

Convide seus pequenos para aceitar Jesus ( o caminho pro céu) para morar em seu coração e ser o dono de sua vida. Ore por com eles e por eles.


É preciso estar preparado!

Para ir para o Céu é preciso estar preparado. Na Bíblia lemos que Jesus contou uma parábola sobre dez jovens que estavam esperando o noivo e que cinco delas não estavam preparadas!
Texto Bíblico: Mateus 25.1-13 Fazer a encenação com as crianças e depois dividir as classes para atividade de fixação.

Memorização Bíblica: Mateus 25.13: “Vigiai, pois, porque não sabeis o dia e nem a hora.”

Posso dizer Amém?


Se penso só em mim, não posso dizer: Pai Nosso ...
Se não creio na vida eterna, não posso dizer: que estas no céu ..
Se não procuro santificar a minha vida, não posso dizer:
Santificado seja o Vosso Nome ...
Se confio nas riquezas, não posso dizer:
Vem a nós o vosso reino ...
Se não sei renuciar um nada não posso dizer:
Seja feita a vossa Vontade ...
Se meu comportamento não for Humanitário, não posso dizer:
Assim na Terra como no Céu ...
Se não sei repartir o pão, não posso dizer:
O Pão Nosso de cada dia nos dai hoje ...
Se não sei perdoar aos outros, não posso dizer:
Perdoai-nos as nossas ofensas, como nós perdoamos assim
a quem nos tem ofendido ...
Se não deixo de ver filmes pornográficos e coisas
Provocante, não posso dizer:
Não nos deixe cair em tentação ...
Se não fujo do pecado, não posso dizer:
Livrai-nos do mal ...
Se me revolto contra a Deus, não posso dizer:
Amém!

Mantendo a Disciplina na Classe

O que significa Disciplina? É um treinamento que ajuda as crianças a obedecerem regras, desenvolvendo assim o seu autocontrole. Ela as prepara para serem aprendizes ou discípulos. O termo hebraico para disciplina ou treinamento usado com freqüência em Provérbios significa “estreitar ou cercar”. Disciplina é ensinar às crianças os limites do comportamento adequado e a prática dos mandamentos de Deus em sua vida. Mediante a disciplina, ajudamos meninos e meninas a aprenderem a sentar-se em silêncio e ouvirem atentamente; a sentirem e mostrarem respeito pelos pais e professores, e por Deus e a sua Palavra; a ficarem em fila a caminho do recreio e a esperarem a sua vez de tomar o lanche; a participarem harmoniosamente com outros nas músicas, artes e jogos. A disciplina ajuda as crianças a respeitarem outros e a apreciarem a ordem. Ela forma a mentalidade e o caráter, de modo que possam vir a tornar-se membros cooperativos e construtivos da sociedade; assim como seguidores dedicados e perseverantes de Cristo.Deus, nosso Disciplinador Amoroso. Nosso exemplo de disciplina é o próprio Deus. Apesar de nos ver como somos, com todo o nosso pecado, Deus escolheu amar-nos. Ele não esperou até que atingíssemos aos seus padrões, mas tomou a iniciativa, tomando providencias para a nossa salvação (Romanos 5.8). Ele continua a amar-nos, com firmeza e imparcialidade, sem levar em conta a nossa condição. Ainda antes de sermos salvos, Ele nos atrai para si, mesmo. Uma vez que recebemos Jesus como Salvador, Deus começa a tratar conosco como um Pai amoroso, treinando – discipulando – para nos ajudar crescer, sempre com o nosso bem-estar em mente (Hebreus 12.7-11).Suprindo as Necessidades com o Amor de Deus – A Base da Disciplina. Quando respondemos à disciplina de Deus, permitindo que supra as nossas necessidades, nos libertamos para satisfazer as necessidades de outros. Podemos prover melhor disciplina para outros quando estamos seguros no amor de Deus e buscando o controle de seu Espírito. Podemos então disciplinar a nós mesmos, a fim de preparar bem nossa lições e prover um ambiente ordeiro e estimulante para os outros. Um ambiente em que suas necessidades básicas, tais como aceitação, aprovação, segurança e sentimento de realização sejam satisfeitas. Peça a Deus para ajudar você a apreciar cada criança como ela é, não importa quão difícil ou indigna de amor. Mostre a cada uma a sua aceitação e aprovação de maneira observável. Trate cada criança com dignidade e bondade, como se dizendo: “Você é especial; gosto de Você”. Mostre a sua apreciação com um sorriso, algumas palavras amáveis, um carinho no ombro. Seja sempre cordial e positivo. Seja agradável, mas não permissivo. Você supre a necessidade de segurança e estabilidade do aluno provendo estatura, espere então obediência. Ajude as crianças a compreenderem que ao estabelecer e reforçar as regras, você está mostrando respeito por elas como pessoas. Ao obedecer as regras, as crianças estão mostrando respeito por si mesmas, umas pelas outras, por você e por Deus. Ore também pedindo sabedoria para satisfazer as necessidades de auto-estima dos alunos. Que atividades podem dar a eles oportunidades de participarem com sucesso? Inclua perguntas, jogos, artes, etc., que os faça sentir, “Eu posso fazer isso!” A seguir, reforce o sucesso aplaudindo livre, mas sinceramente, um trabalho bem feito – ou até uma tarefa que tenha sido tentada com entusiasmo.Como lidar com os Problemas de Disciplina. Nunca permita que uma criança domine a classe. Se ela recusar-se absolutamente a colaborar, lide individualmente com a mesma. Permaneça calmo. Fale bondosamente. Mas, seja firme. Peça à criança que lhe diga o que fez e não porque fez. (Ela geralmente não saberá dizer-lhe o porquê). Se recusar responder, diga o que você viu. Deixe então que explique, se puder, porque tal comportamento não é a aceitável. Mostre a ela o comportamento que espera agora e no futuro.A criança precisa às vezes sofrer as conseqüências de um ato. Por exemplo, se Célia derruba deliberadamente cola na mesa, pode ser bom para ela limpar a mesa. Em casos extremos você pode ter de tirar uma criança da classe. Peça sabedoria a Deus para equilibrar as necessidades da criança problemática com os melhores interesses das outras crianças em sua sala.Princípios Práticos para Disciplinar a sua Classe como Deus quer..Descubra os seus alunos. As palavras em Provérbios 22.6 “No caminho em que deve andar”, significam literalmente, “Segundo o seu caminho” ou a sua “inclinação” – suas opiniões e talentos dados por Deus. Embora você deva conhecer as características básicas da faixa etária que ensina (veja estudo anterior “Características das Crianças”, deve também ver cada criança com um individuo único).Interceda por elas (1 Jo 5.14-15). Ore a favor de cada criança pelo nome. Peça ao Espírito Santo que opere na vida das crianças, atraindo-as para si mesmo, primeiro para a salvação e depois para a maturidade em Cristo.Estabeleça padrões positivos (Filipenses 3.12-14). Faça regras simples e em pequeno número, sempre baseadas em princípios bíblicos. Dê instruções cuidadosas. Deixe que os alunos saibam que a desobediência terá conseqüências. Seja cuidadoso com o castigo pelas infrações. Lembre-se, um professor deve sempre cumprir a sua palavra. Quando você cometer um erro, esteja disposto a admiti-lo.Controle o ambiente de aprendizado (1 Coríntios 14.40) . Verifique se a sala de aula é atraente: decoração alegre, temperamento confortável, mobília arranjada de acordo com as atividades. Considere os arranjos das cadeiras em relação a prováveis problemas de disciplina. Fique atento as possibilidade de mudança de condições e faça os ajustes necessários.Examine a sua própria vida quanto à disciplina (Salmo 139.1,23-24). Você está crescendo como cristão? Está aperfeiçoando as suas habilidades de ensino para que possa manter disciplina com confiança? Você é um bom modelo?Planeje o seu tempo e lições cuidadosamente (2 Timóteo 2.15). Considere a seguinte equação: “Oração + preparo adequado + apresentação apropriada = o aluno – um problema de disciplina”. Fortalece o seu ensino com oração e estudo. Chegue cedo e verifique se todo o equipamento, recursos visuais e materiais a serem distribuídos estão prontos. Não permita que as aulas, sejam monótonas; planeje diversão e inclua surpresas ocasionais.Ame as crianças e ouça o que elas dizem (João 13.1b). Olhe por baixo da superfície e aceite cada criança como é. Estabeleça o tom cumprimentando cada criança cordialmente. Ouça o que elas dizem e como dizem; à medida que aprender como a criança se sente, poderá descobrir a razão para seus atos. Nunca envergonhe uma criança. Sempre que possível, responda positivamente aos comentários das crianças, usando até os irrelevantes de maneira criativa para voltar à lição. Ofereça palavras de encorajamento a cada criança.Envolva cada aluno (Tiago 1.22). Planeje atividades que exijam participação. Seja sensível às personalidades e capacidades individuais. Nunca exponha a criança ao ridículo. Peça sabedoria a Deus para lidar com algumas que constantemente querem se exibir e com outros que se recusam a colaborar.Nunca perca o autocontrole. Você não vai controle sobre a classe se perder a calma (Provérbios 14.17-29/ 15.1-18/ 16.32). Não permita que as surpresas o empolguem demais. Seja calmo, porém entusiasta – controlado pelo Espírito. O entusiasmo é contagioso e da vida a uma aula.Evangelize e eduque (Mateus 18.14/28.20; Provérbios 22.6). Leve as crianças ao Senhor. Depois ensine a elas a Palavra para que seu caráter se aperfeiçoe.

Fonte: Bíblia de Recursos para o Ministério com Crianças - Editora Hagnos

"O Perdão"

Você sabia que Deus estabeleceu o padrão para o perdão??

Temos facilidade em falar sobre o perdão, mas dificuldade em praticá-lo.Muitas vezes guardamos ressentimentos justificáveis, ou seja , quando de fato temos motivos para ficarmos magoados, ressentidos ...Quando o ofensor se arrepende (nem sempre isso acontece) procuramos sinais verdadeiros desse arrependimento. Quando o ofensor não se arrepende, relembramos a eles da sua necessidade de arrependimento antes de perdoá-los.Deus concedeu perdão livremente através do sangue de Jesus. Nós também devemos conceder o perdão livremente, sem exigir pagamento por ele.

Deus estabeleceu o padrão para o perdão. É verdade.

Podemos entender isso através do que diz em Mateus 6:14-15, vejamos:"Por que se perdoades aos homens as suas ofensas, também vosso pai celeste vos perdoará; se porém não perdoades aos homens , tampouco vosso pai celeste perdoará as vossas ofensas".
Deus só pode nos perdoar a medida que estamos dispostos a perdoar os outros.Queremos que ser perdoados por Deus pela Sua misericórdia, pórém retemos as ofensas daqueles que nos tem ofendido.Essa prática não funcional no Reino Espiritual.A falta de perdão pode ter como resultado doenças físicas e mentais. Frequentimente a falta de perdão é a base para formação de fortalezas demoníacas.
Deus nos instruiu também a perdoamos os nosssos irmãos antes de orarmos.

"E quando estiverdes orando, se tendes alguma coisa contra alguém perdoai, para que o vosso pai celeste vos perdoi as vossas ofensas" Marcos 11:25

Para que possamos caminhar na fé precisamos ter atitudes corretas com outras pessoas.

Se nós ofendemos devemos iniciar o processo de perdão.
Se nós fomos ofendidos também devemos iniciar o processo de perdão.

Lembre-se : O Pedão não é um sentimento, é uma atitude.

Livrinho das Vogais


Alfabeto Andante - um bichinho diferente


Alfabeto Ilustrado


Ficha Individual de Aluno


Ganhei Selinho!!!




Meu primeiro selinho ganho, AMEI!


Obrigada Alessandra!

Fiz esse pote para pregador em EVA




Meus trabalhinhos em eva...

Amo trabalhar com EVA

Esse é um pote de sorvete, pode ser porta-tudo...

Esse é um mousepad - apoio de mouse, ficou lindo pena
que a foto não ficou muito boa né, rsrs..



Porta retrato tb ficou lindo

Cuidados ao contar Histórias

Sempre podemos melhorar a nossa maneira de contar histórias para evitar desatenção ou desinteresse por parte das crianças. Alguns cuidados podem ser tomados. Vamos a eles:

Nunca conte uma história que não interessa ao nível da classe.
É muito importante que as crianças estejam fisicamente bem próximas ao professor. De preferencia em semi-círculo.
Conhecer bem a história. Não é bom que o professor vá para a aula sem antes se preparar. A criança com certeza vai notar que você está meio "perdido" e não vai se interessar muito.
Faça sempre um planejamento de sua aula. Com certeza você vai ver a diferença que dá preparar tudo com antecedência. A aula fica mais gostosa e tranquila e seus alunos aprendem mais.
Dê ênfase as partes principais da história.
Fale sempre em tom agradável, nem depressa e nem devagar.
Evite cacoetes: Dizer sempre ao fim da frase: Não é? Certo? Entende? Compreende? Aliás... etc.
Creio que Nosso Senhor Vai abençoar muito sua aula e você vai ver o quanto contribuiu para o crescimento espiritual dos pequenos.

Ser como criança...


Sejamos como crianças: com elas aprendamos a amar.
Elas são sinceras, amam desinteressadamente.
Se gostam de nós, logo saberemos.

Não sabem dissimular.
Pequeninas, sorriem ao menor toque.
Não criticam, indagam apenas.
Não discriminam, aceitam a todos sem distinção.
Sabem conviver com as diferenças.

São alegres a todo tempo, cantam ,dançam.....
Fazem da vida, uma eterna festa.

Confiam...
O seu olhar brilha, o seu sorriso é sincero.
Não nos pedem nada em troca do amor que nos dão,
somente carinho e atenção.

Todo mundo carrega dentro de si uma criança.
E todo mundo aprende a reprimi-la para ser adulto.

Ria de voce mesmo...seja ridiculo,
brinque na chuva ,de fazer castelos de areia,
de fazer castelos no ar...
brinque como uma criança...como uma criança.
A vida ja é muito complicada para vivermos
sérios e carrancudos.

E isso tudo, não é deixar de viver com seriedade...
é viver com a leveza de uma criança,
e obrigaçoes de adulto.

A influência da televisão na formação das crianças


Os programas de televisão podem interferir positivamente ou negativamente na educação e desenvolvimento das crianças. É responsabilidade dos pais que, todavia, vem se omitindo cada vez mais, impor alguns limites.

A audiência infantil a programas inapropriados poderia acabar se os próprios pais abrissem mão de assistir a estes programas. Seria bom se os pais pudessem mostrar que, o que não é bom para os filhos, também não é bom para os pais. Os programas com conteúdos positivos, produzidos com preocupações pedagógicas e assessoria educacional são exceções.

O que se vê com grande freqüência são programas fundamentados em falsos valores, voltados apenas para satisfazer audiência e que promovem a violência. Estes programas tem uma contribuição negativa no desenvolvimento das crianças que ficam mais expostas à TV, pois estas tendem a reproduzir atividades e práticas presentes na programação assistida. Isso ocorre principalmente quando a situação vivenciada aproxima-se das experiências de vida da própria criança.

Cenas eróticas ou situações de violência são muito prevalentes nos programas assistidos pelo público infantil. Uma das consequências mais visíveis é a aceleração de algumas vivências, sem que tenha havido um amadurecimento para tal.

Crianças que assistem a programas de televisão violentos podem se identificar com os personagens e acreditam que eles são realistas, o que aumenta as chances delas se tornarem adultos agressivos.

É de grande importância que os pais fiquem atentos se os conteúdos exibidos são apropriados ou não para seus filhos, porém o que ocorre é que eles próprios fazem mal suas escolhas, dando grande audiência para maus programas.

Como estimular a auto-estima das crianças


Para melhorar a auto-estima da criança, veja alguns passos que damos a seguir:
1- Incentive o desenvolvimento das responsabilidades da criança. De uma maneira positiva, crie alguns compromissos e exija, num clima de participação e interação, seu cumprimento por parte da criança.
2- Dê oportunidade à criança tomar decisões e resolver algum problema.
3- Reforce com positivismo as condutas da criança. Por exemplo, quando ela fizer os deveres, ou recolher seus brinquedos, ou troque de roupa sozinha, diga-lhe com carinho e de forma efusiva: “como você cresceu!”, “obrigado por me ajudar!”, ou “muito bem!”. Em algumas casas e colégios, esse reforço se faz através de pequenos prêmios.
4- Ponha limites claros ao seu filho, ensinando-o a prever as consequências pela sua conduta. Exemplo: “Se não recolher seus brinquedos, não irá ao cinema”. E que não volte atrás na decisão.
5- Ensine seu filho a resolver seus próprios problemas e a aprender com seus erros e atitudes, de uma forma positiva. Por exemplo, se a criança não tira uma boa nota em uma matéria escolar, anime-a a estudar mais e a preparar-se para se superar na próxima prova. De nada adiantará culpá-la. A criança deve sentir que um erro pode ser convertido em uma aprendizagem, e consequentemente, que poderá premiá-la se empregar mais esforço.
6- Deixe de lado as críticas que nada constróem. Os insultos não favorecerão a auto-estima da criança. Em lugar, por exemplo, de dizer “você é um bagunceiro, seu quarto parece um lixo”, melhor dizer “não gosto de ver seu quarto tão bagunçado, me deixa muito triste”. Assim estará demonstrando o que não te agrada é a desordem do quarto, e não a criança.

Diálogo em Família

A falta de diálogo afasta os pais dos filhos. Quando só se usa a linguagem verbal, falamos de diálogo. E isso se dá por duas formas extremas: por excesso ou por falta. Ambas, provocam distanciamento entre pais e filhos. Há pais que, com a melhor das intenções, procuram criar um clima de diálogo com seus filhos, e tentam verbalizar absolutamente tudo. Essa atitude facilmente pode levar aos pais a converter-se em interrogadores ou em fazedores de sermões, ou ambas as coisas.
Os filhos acabam por não escutar ou escapam com evasivas. Nesses casos, confunde-se o diálogo com o monólogo e a comunicação com o ensino. O silêncio é um elemento fundamental no diálogo. Dê tempo ao outro entender o que foi dito e o que se quis dizer. Um diálogo é uma interação, e para que seja possível, é necessário que os silêncios permitam a intervenção de todos os participantes.
Dialogar também é Escutar

Junto com o silêncio, está a capacidade de escutar. Há quem faz suas exposições e dá suas opiniões, sem escutar as opiniões dos demais. Quando isso sucede, o interlocutor se dá conta da diferença do outro até ele e acaba por perder a motivação pela conversação. Essa situação é a que com frequência se dá entre pais e filhos. Os primeiros crêem que estes últimos não têm nada o que ensiná-los e que não podem mudar suas opiniões. Escutam pouco a seus filhos, ou se o fazem, é de uma maneira inquisidora, numa posição impermeável em respeito ao conteúdo dos argumentos dos filhos. Essa situação é frequente com filhos adolescentes. Estamos diante de um dos erros mais frequentes nas relações paterno filiais: crer que com um discurso pode fazer mudar uma pessoa.
Através do diálogo, pais e filhos se conhecem melhor, conhecem sobretudo suas respectivas opiniões e sua capacidade de verbalizar sentimentos, mas nunca a informação obtida mediante uma conversação será mais ampla e transcendente que a adquirida com a convivência. Por isso, transmite e educa muito mais na convivência do que as verbalizações dos valores que se pretendem inculcar. Por outro lado, todo diálogo deve a possibilidade da réplica. A predisposição de guardar o argumento do outro e admitir que pode não concordar com o próprio, é uma das condições básicas para que o diálogo seja viável. Se se parte de de diferentes planos de autoridade, não haverá diálogo.
A capacidade de dialogar tem como referência a segurança que tenha em si mesmo cada um dos interlocutores. A família é um ponto de referência para a criança e o jovem: nela pode-se aprender a dialogar, e com essa capacidade, favorecer atitudes tão importantes como a tolerância, a assertividade, a habilidade dialética, a capacidade de admitir erros e de tolerar as frustrações.

Vídeo feito por mim (Intercedendo pela Nação)

video

Fiz este vídeo para data show para o dia das crianças, ficou muito lindo e emocionante, Intercedendo pela nação, assistam e deixem seus comentários...

Os Limites e seus filhos...

A grande dúvida que os pais apresntam é de como impor limites e educar seus filhos da maneira menos prejudicial possível.

Muitas vezes sentem-se culpados quando estabelecem limites ou regras e apresentam necessidade de proteger a criança.

A psicanálise no fim do século passado traz de modo incontestável, até os dias de hoje, a descoberta de que a repressão em que eram educados os filhos levava a distúrbios emocionais.

O lugar do pai severo que impõe normas e da mãe que as cumpre e faz cumprir, foi contestado. O mundo mudou desde então. Maior liberdade de expressão dos filhos, maior atenção dos pais. Com isso, o desejo do filho é que manda. Se antes considerava-se a criança sem desejo, hoje o desejo dela é por vezes ditatorial; quem abre mão do que quer são os pais.

Isso ocorre, pois nossa geração anda muito culpada e assume uma postura super protetora, os pais sentem-se sempre devedores à criança. Sem percebermos passamos a idéia que as dificuldades devem ser compensadas com os bens materiais. Não posso ser o melhor pai, mas trabalho e posso dar presentes para meu filho.

Com isso onde anda a auto-estima e segurança dos pais? Quem sabe seja preciso assumir seus limites e mostrar às crianças que os problemas fazem parte da vida de todos.

O sentimento de frustração pode tornar-se muito freqüente em função do desejo da criança que é ilimitado e não leva ainda em conta os aspectos da realidade. É característica da natureza do desejo que este seja ilimitado, com fantasias de tudo querer e de tudo poder. Só com o desenvolvimento e com a ajuda do adulto é que a criança pode ir aprendendo a restringir certas vontades, a trocar uma coisa por outra, a aceitar que existe uma hora para cada atividade e que mesmo que algo seja prazeroso, em certo momento pode precisar ser deixado de lado e substituído por outra coisa.

As crianças de quatro anos começam a interessar-se por regras, tanto no sentido do que é permitido fazer quanto do que não é, e também no sentido mais amplo do que é certo e do que não é.

Esse progresso é um processo lento e trabalhoso. Quem pode ajudar a criança nesse sentido é o adulto, os educadores, e sobretudo, os pais. Para tanto, é fundamental que os adultos também possam aceitar os limites e as frustrações da vida, considerando os aspectos da realidade, ou seja, o adulto possa compreender que frustrar o filho (dar limites) não é ser "mau", e sim, dar-lhe proteção e cuidado. Se isto não está sendo possível, as "regras" de como educar e castigar acabam falhando.

É preciso que os pais possam aceitar as reações de agressividade e sofrimento dos filhos perante suas frustrações, de maneira a permitir que eles se desenvolvam. O sofrimento faz parte da vida e, tentar poupar os filhos dessas experiências, é prejudicá-los no enfrentamento da vida.

A lição das formigas


As formigas não são um povo forte; todavia no verão preparam a sua comida. - Provérbios de Salomão 30:25

É curioso que neste provérbio as formigas s apresentadas como um povo. De facto, a primeira grande virtude do sistema orgânico das formigas, é saberem viver como um povo. Isto significa que elas se conhecem, se organizam, preservam e vivem de acordo com os seus "valores".

Mas como sabemos, as formigas são, no entanto, apesar desta organização, uma comunidade fraca (vulneráveis pelo tamanho e pelos lugares por onde circulam). Além disso, são seres indesejáveis pelo homem. Ninguém gosta de ter formigas em casa.

Mas a lição que nos é fornecida neste provérbio, é de que elas são prudente.

1. Prudentes, porque sabem antecipar os problemas. Sabem que a comida não está disponível o tempo todo durante o ano. Por isso, ajuntam no verão.

2. São prudentes, porque trabalham quando a maioria folga. No verão, devido ao imenso calor e à propensão para o ócio de grande parte dos animais, mas também devido às vantagens climatéricas; as formigas aproveitam este período para se abastecerem e fazer as suas reservas.

3. São prudentes, porque esta época oferece provavelmente mais alimentos.

Assim, temos nas formigas um grande exemplo de trabalho, organização e prudência. Saibamos, pois, olhar para os bons exemplos e aprender.

O lápis e a Borracha


1- Qualquer que seja o lápis, uma borracha pode ajudar.

2- Era uma vez um lápis.

3- O lápis podia desenhar coisas.

4- O lápis podia escrever palavras e números.

5- Às vezes o lápis cometia erros.

6- Ás vezes o lápis ficava zangado.

7- Um dia o lápis encontrou uma borracha.
A borracha ajudou o lápis

8- A borracha apagou os erros do lápis.

9- A borracha apagou os rabiscos que o lápis zangado fez.

10- O lápis descobriu que a borracha era sua melhor amiga.

11- Você gostaria de ter um amigo que apagasse seus erros e rabiscos?

12-Deus mandou Jesus Cristo para que Ele fosse nosso melhor amigo.
Nós podemos pedir que Jesus nos ajude em tudo o que fazemos.
Quando cometemos erros ou ficamos bravos, Jesus nos perdoa e nos ajuda, se nós pedimos perdão a Ele e ficarmos arrependidos de verdade.
É como se Jesus apagasse os erros e rabiscos que fizemos.

PIPOCA, O PEIXINHO ENCRENQUEIRO

Era uma vez um peixinho que se chamava Pipoca. Ele tinha esse nome porque aonde ele ia estourava uma confusão. Sabe por que? Ele era muito fofoqueiro. Vivia inventando umas “mentirinhas” a respeito dos outros peixinhos.
No recife, onde ele e os outros peixinhos moravam, era um lugar muito bonito. A água era tão limpinha que lá de baixo dava pra ver o céu. Tinha muitos corais, plantinhas e muita comida pra alimentar todos os peixinhos. Era o local preferido da maioria dos peixes.
Pipoca não gostava, ele ficava com raiva e vivia reclamando:
- Esse lugar está muito cheio. Não dá nem para nadar. Porque todo mundo tem que vir pra cá?

Splash, um peixinho que passava na hora, ouviu Pipoca reclamar e disse:
- Pipoca, aqui é seguro, não tem pescadores, tem muita comida pra todos, não tem poluição, por isso a maioria dos peixes vive aqui.
Pipoca respondeu:
- Ah não dá, ta muito cheio, procurem outro lugar.
- Não Pipoca, como diz o ditado – “os incomodados que se retirem”, o mar é nosso também. Procure você outro lugar para morar.
Pipoca ficou vermelho de raiva, ele pensou:
…È assim né, procurar outro lugar. Eu cheguei aqui primeiro, então esse lugar é meu! Já sei o que vou fazer para esvaziar o recife. Vou inventar umas mentirinhas e logo todos os peixes vão se zangar uns com os outros e vão embora.

E assim ele começou…
Procurou o camarão e disse:
- Sabe camarão, estou muito triste.
- Por que, disse o camarão.
- O baiacu falou que você é muito feio, tem uns bigodes enormes e parece uma pimenta, de tão vermelho.
- O camarão ficou muito irritado e foi tirar satisfação com o baiacu.

- Pipoca foi correndo até o baiacu para provocá-lo também.
- Sabe Baiacu, estou muito, muito triste.
- Por que Pipoca. O que está acontecendo?
- É o Camarão.
- O que houve com o Camarão, ele é meu amigo.
- Amigo?! Se aquilo é amigo, você não precisa de inimigo.
- Por que está dizendo isso Pipoca?
- Sabe como é, eu não gosto de fofoca, mas não agüento ver uma injustiça.
- Diga logo, Pipoca.
- È que o Camarão disse que você é espinhudo e quando infla, fica parecendo uma baleia de tão gordo.
- Ah é! Mas o Camarão parecia tão meu amigo, falando umas coisas dessas a meu respeito? Vou tirar satisfação com ele.
E foi…

Pipoca ficou rindo… Estou conseguindo.
Quando o Camarão e o Baiacu se encontraram foi a maior confusão!
Eles discutiram muito, pois já estavam zangados, e um não deixava o outro falar. Foi a maior briga.
Pipoca ficava de longe, só rindo da confusão.
E assim foi… Pipoca foi inventando mentiras sobre os peixinhos do lugar e ia soltando seu veneno. Os peixes, ingênuos, acreditavam em sua estória, acabavam brigando uns com os outros, brigavam e iam embora para outro lugar.

A confusão foi tão grande que o lugar foi ficando vazio, vazio. Splash tomou um susto, ele estava viajando por outras águas, quando voltou ao recife, ele estava vazio, só Pipoca estava lá.
Ele pensou… o que está acontecendo este lugar é tão movimentado, tão alegre, cheio de vida, está tão triste. Aí ele viu Pipoca nadando, nadando, todo alegre.
- Pipoca, onde estão os outros peixes? O que aconteceu? Os pescadores descobriram o nosso refúgio?
- Ah, não sei não, os peixes resolveram se mudar pra outro lugar.
- Por que? Disse Splash.
- Ah não sei! Eles arrumaram uma confusão, brigaram e cada um foi prá um lado.
- Porque só você ficou aqui Pipoca?
- Ora, aqui é a minha casa, meu lugar, é aqui que eu devo ficar.
- Por que os peixes brigaram, eram tão unidos, tão amigos?
- Umas fofocas que inventaram por aí, e eles acreditaram.
- Fofocas, que fofocas, quem inventou isso? E a seu respeito, ninguém disse nada?
Splash, começou a desconfiar de Pipoca.
- A meu respeito, bem, é, quer dizer, hum, eu não sou bobo, não acredito em qualquer coisa.
- Ah é! E sobre aquela estória que você andava reclamando que o recife estava muito cheio?
- Splash, que era um peixinho muito inteligente, começou a apertar Pipoca com tantas perguntas, ele sabia que tinha alguma coisa errada.
- Pipoca, que tinha a língua solta, não agüentou e disse:
- Ta bom, eu confesso fui eu que inventei as fofocas. Mas não me arrependo, o recife ficou do jeito que eu queria, bem vazio e sossegado.
- Splash, responde:
- Ah é, então fique com o recife todo prá você, porque eu também vou para outro lugar, vou procurar os meus amigos, fique aí sozinho, do jeito que você queria.
- Vai mesmo, eu não preciso de ninguém, posso viver aqui sozinho, vai mesmo, tchau!
Só que Pipoca achou que poderia viver sozinho. Sem ninguém para brincar, estudar, conversar. Passava todos os dias ali sozinho, nadando de um lado para o outro. Sem nada para fazer.
- Que coisa chata, eu não tenho ninguém para brincar, não tenho ninguém para conversar, eu estou me sentindo tão sozinho. Buá….Buá…
E começou a chorar, ele chorava tão alto que os outros peixinhos ficaram com muita pena dele. Apesar do que Pipoca tinha feito, eles mesmo assim o amavam e resolveram ver o que estava acontecendo.
- Splash, que era tipo um líder, perguntou:
- O que está acontecendo com você Pipoca, por que está chorando?
- Eu me sinto tão só , eu não sabia que era tão ruim ficar sozinho, sem ninguém para brincar, conversar.
- Ah então você não queria o recife todo para você?
- Eu não quero mais, o recife não é só meu, eu quero os meus amigos de volta.
- Então, peça desculpas a todos e diga que foi você que inventou todas aquelas mentiras.
E assim foi, Pipoca pediu perdão a todos e disse que nunca mais faria aquilo, ele tinha aprendido a lição. Ninguém pode viver sozinho. Todos nós precisamos de alguém. Precisamos da mamãe, do papai, dos irmãos, do coleguinha, precisamos os irmãos da nossa igreja. E principalmente precisamos de JESUS CRISTO. Pois sem ele é muito difícil viver.
“Oh quão bom e quão maravilhoso é viverem unidos os irmãos”! (Salmo 133:1)

OBS. Outros versículos poderão ser usados nesta história, confome a necessidade e assunto de cada um.

PEDRINHO, UM MISSIONÁRIO

Pedrinho era um menino muito especial, pois todas as vezes que seu pai viajava quase sempre ele ia junto. O pai de Pedrinho falava:
-Pedrinho! Arrume as suas malas que vamos fazer outra viagem.
-Oba! Que legal! – diz Pedrinho com um sorriso bem aberto – Papai, pra onde nós vamos?
- Nós vamos fazer uma visita ao missionário que trabalha na Tailândia.

Chegando à Tailândia, o missionário os está esperando no aeroporto.
- Papai, olha o tanto de carros. Eu nunca vi tantos carros juntos assim!
- É verdade Pedrinho! Aqui é assim mesmo, quase não dá para andar de tanto carros.
Pedrinho estava super contente com a viagem, porém estava confuso em ver tantos carros e casas juntinhas e pequeninas. Pedrinho, seu pai e o missionário entraram numa casa onde a missionária fazia evangelismo.

- Papai, por que tantas crianças assim juntas?
- Elas estão aqui porque não têm casas.
- E seus pais?
- Filho, depois você me faz estas perguntas.
Até o pai de Pedrinho já estava confuso em ver tantas crianças juntas. De longe Pedrinho vê uma criança que estava muito doente.

Ele chega perto dela e pode ver a tristeza daquela criança, sozinha, doente e sem os seus pais. Pedrinho olha para os lados e percebe que o lugar estava sujo, não tinha pessoas suficientes para ajudar aquelas crianças e a única coisa que podia fazer era dar seu lanche para ela.
- Você quer meu lanche? A criança não entendia a lingua de Pedrinho. -Toma! (Pedrinho tira o lanche e dá para crinça doente).
O pai chega e diz:
-Vamos, meu filho, está na hora de voltar.
Pedrinho sai e nem fica sabendo o nome da criança.No caminho de volta o menino não dá nenhuma palavra.Todos estavam tristes em ver aquelas crianças sozinhas e doentes naquele lugar.

- Papai por que todas aquelas crianças estão sozinhas?
- Os pais de algumas morreram, outras foram abandonadas e algumas estão em tratamento.
Pedrinho não podia pensar em outra coisa a não ser nas crianças daquele lugar.
- Papai, o que podemos fazer por aquelas crianças?
-Não podemos fazer nada!
Pedrinho ficou indignado com seu pai e com a situação.
- Filho,vai dormir que amanhã vamos viajar…
- Boa noite, papai.

Pedrinho antes de dormir intercede pelas crianças com o coração muto comovido: Senhor Deus, eu lhe peço que ajude aquelas crianças enfermas. Que o Senhor as cure de toda doença e que a sua paz esteja com elas. Em nome de Jesus. Amém!
No dia seguinte Pedrinho tem uma idéia e comunica no café da manhã.

- Papai sabe o que podemos fazer? Vamos falar das crianças em nossa igreja e descobrir quem quer vir a Tailândia ajudar a cuidar delas.Vamos falar de tudo que vimos aqui e pedir a Deus mais pessoas para vir trabalhar. E quando eu crescer, pai, vou ser um missionário aqui.

- Muito bem, meu filho, vejo que você aproveitou bem a sua viagem. Agora vamos que já estamos atrasados, temos que voltar ao Brasil.

- Outra coisa papai: Eu quero dar minha mesada para os missionários que estão trabalhando aqui todos os meses quero contribuir.
-Muito bem meu filho, a junta de Misões tem um programa de adoção missionária. Você pode adotar um missionário e ser um missionário sustentador e, desse jeito, contribuir para a obra missionária.
-Legal, pai, assim eu vou poder contribuir, orar e, quando crescer, ser um missionário.
- Isto mesmo, meu filho, estou orgulhoso de sua decisão.
Depois daquela viagem Pedrinho sempre contribuia, orava e lembrava daquelas crianças. Ele sempre pensava nelas porque nunca tinha visto algo igual. Era tanto sofrimento, tantas crianças sem pais, sozinhas e doentes. Pedrinho aprendeu que Jesus quer ajudar os que não têm paz e que ele também pode orar e fazer algo por aqueles que sofrem.

O SÓTÃO ILUMINADO

Quase 100 anos atrás, viveu na velha cidade de Londres um menino chamado Tomy, nasceu com um problema muito grave e só podia caminhar com muletas.
Seus pais faleceram num acidente e Tomy ficou aos cuidados de uma senhora idosa parenta da família. Tomy a chamava de “vozinha”, ainda que ela não tivesse nem um pouquinho de amor por Tomy.
Ela era uma pessoa muito má, reclamava, xingava e gritava todo dia. Tomy tentava fazer as tarefas de casa para ela, mas um dia ele já não pode mais caminhar.
A avó reclamou e ficou muito brava e por isso colocou Tomy num sótão sujo e mofado na parte de cima da casa. Nesse sótão tinha uma janelinha para a rua.
Ali Tomy ficava muito sozinho. Tomy começou a lembrar de quando era pequeno e que foi muitas vezes a uma igreja. Nessa igreja passou momentos lindos ao lado de seu amiguinho Joãozinho. Na igreja cantavam, brincavam e aprendiam muistas histórias da Bíblia, a Palavra de Deus. Aprendeu também que Jesus era O Filho amoroso de Deus.
Então Tomy pensou:
_ Como gostaria de ter uma Bíblia, quero saber mais de Jesus!
Tomy, com muito medo se arriscou e pediu uma Bíblia para a avó. Ele disse:
_ Vovozinha, quero uma Bíblia.
Sabe o que aconteceu? A velha ficou furiosa e gritou:
_ Só faltava isso! Para que você precisa de uma Bíblia, seu tolo?
Um dia Tomy escutou uns passos na velha escada na entrado do sótão.
Quem seria?
A porta se abriu e… que surpresa!
Era Joãozinho, seu amigo de infância!
- Tomy, disse Joãozinho:
_ Arrumei um emprego muito bom em outra cidade, venho para me despedir e deixar contigo este presente. Mas não quero que uses em coisas sem necessidade!
E tendo dito isso deu uma moeda de ouro para Tomy.
- Oh! Joãozinho!
Exclamou Tomy muito emocionado.
_ Você é muito bom! Sim eu quero comprar algo muito especial para mim!
_ Por favor, desce correndo e compra para mim uma Bíblia!
Joãozinho pensou antes de obedecer Tomy, pois sabia que o amigo necessitava do dinheiro para comprar outras coisas como roupas, alimentos, etc.
Contudo, Joãozinho se levantou e foi comprar a Bíblia para Tomy.
Ao retornar com a Bíblia, a felicidade de Tomy era tanta que Joãozinho se despediu muito satisfeito, ainda que não compreendesse porque um menino pobre gastaria todo seu dinheiro em uma Bíblia!
Tomy estava muito feliz. Abraçava sua nova Bíblia com seus braçinhos magros. Este era o melhor presente que poderá ganhar.
Tomy começou a ler e ler sem descansar. Sua felicidade ia aumentando cada dia.
Depois de um mês, Tomy sabia mais da Bíblia que muitas pessoas que dizem que lêem a Bíblia por anos. Quando leu o que Jesus tinha feito por ele, que havia deixado o céu, que havia morrido na cruz do calvário e que havia ressuscitado, Tomy chorava com muita emoção.
Assim, Tomy entendeu que tinha que fazer uma coisa muito importante. O que seria?
Fechou seus olhos e disse:
_ Querido Senhor Jesus, eu abro a porta do meu coração, venha viver agora mesmo comigo. Limpe-me de todos os meus pecados, quero fazer tudo o que agrada ao Senhor!
Agora sim, ele era totalmente feliz. Até aquele quarto feio e fedorento parecia iluminado e lindo, ele não estava mais sozinho, Jesus estava com ele dia e noite!
Numa tarde lendo a Bíblia encontrou estas palavras do seu querido Jesus:
_ Vão por todo o mundo e preguem as boas notícias de minha salvação.
- Eu quero fazer isto!
Gritou entusiasmado.
_ Mas…como, se não posso nem me mexer desta cama?
_ Por favor, querido Senhor Jesus, me diga como posso fazer?
Um dia, Tomy teve uma brilhante idéia, chamou a sua avó e disse:
_ Vovozinha, não compre leite para mim hoje. Por favor, se a senhora puder me compre papel e lápis.
- Papel e lápis em lugar de leite?
_ Você está completamente maluco! Disse a avó.
Mas, como não se importava com a saúde de Tomy, fez o que ele pediu.
Nesse dia Tomy não comeu, mais cortou aquele papel em muitos pedaços, em cada pedaço escreveu cuidadosamente um texto bíblico da Palavra de Deus.
Como sua cama era perto da janela, pegou todos os papeizinhos e os jogou em direção a rua, pareciam pombinhas brancas descendo do céu.
As pessoas que passavam por ali ficavam surpresas, paravam, recolhiam os papeizinhos e liam todos, olhavam para cima, mas só enxergavam às vezes uma mãozinha na janela mais alta do prédio.
Dias após dias, Tomy enviou seus mensageiros brancos pela janela daquele sótão. Tomy tinha o cuidado de orar por cada papelzinho que escrevia e jogava para baixo.
Num anoitecer, escutou uns passos desconhecido na escada. A porta se abriu e apareceu um senhor muito elegante. Este senhor se sentou pertinho do Tomy e disse:
_ Então é você que joga os papeizinhos desde o céu?
_ Você sabe filho, que muita gente lê as tuas mensagens e são muito abençoadas?
_ Sou uma dessas pessoas e quero agradecer-te pessoalmente!
_ Meu filho, disse o homem elegante:
_ Faz 23 anos que conheço Jesus, mas nunca O servi. Vivo no campo e tive de vir a cidade para resolver alguns negócios. Ontem, passando por esta rua, caiu no meu chapéu um destes papeizinhos. Nele, havia um texto onde Deus dizia que deveríamos trabalhar para Ele antes que fosse demasiado tarde.
_ Caí de joelhos perante o Senhor e ali mesmo tomei a decisão de trabalhar e servir a Deus pelo resto da minha vida. Por isso estou aqui, quero te agradecer, sei que o Senhor usou sua vida para falar comigo.
- Não me agradeça, disse Tomy, radiante. Só escrevo trechinhos da Palavra de Deus, é Deus quem faz a obra e abençoa as pessoas. Quando faço isso sou tão feliz, que até me esqueço da dor que tenho nas costas e da minha doença!
O senhor disse a Tomy:
_ Tomy, quero que você venha comigo para minha casa, ali você será amado e cuidado, poderá ver as flores, árvores e muitos animais!
- Muito obrigado, disse Tomy, devo ficar aqui e cumprir a minha missão. Sei que Jesus vai me levar para viver na Sua mansão, será maravilhoso! Não tenho tempo a perder!
O senhor elegante, não conseguiu convencer Tomy mas, arrumou uma senhora crente, muito querida, para que cuidasse de Tomy. Ela cuidava de sua alimentação, da limpeza do quarto e da compra de todo papel que Tomy precisasse para enviar suas mensagens.
Aquele homem voltou para seu lar no campo e começou uma grande obra para Deus.
Um dia recebeu uma carta e um pacote. Na carta dizia que Tomy tinha ido viver com Jesus no céu e no pacote estava a preciosa Bíblia de Tomy.
Passaram muitos anos, um dia o filho deste senhor, pegou a Bíblia de Tomy e foi para um lugar muito distante: África Central. Ali dedicou sua vida a falar de Jesus aos africanos que eram muito carentes.
Lia a Bíblia de Tomy para eles e contava a sua historia. Muitos africanos se entregaram ao Senhor Jesus. Hoje todos eles estão no céu, acredito que quando chegaram ao céu deram um grande abraço no Tomy e disseram para ele:
- Muito obrigado! A luz que você acendeu no seu quarto, lá encima, chegou tão longe que nos alcançou lá na África!
Gloria a Deus!

O PODER DA ORAÇÃO DE UMA MÃE!

Uma família Cristã estava passando por serias necessidades financeiras e de enfermidade, ainda que se mantivessem firmes crendo na cura e na mudança dessa terrível situação. O pai da família estava desempregado devido a uma doença que o deixara temporariamente prostrado. A mãe era uma mulher de oração, e vendo a necessidade de alimentar aos seus três filhos, foi ao quarto para clamar ao seu bom Deus. Depois de um longo momento na presença de Deus, sentiu a voz do Espírito Santo no seu coração dizendo para ir à mercearia do Seu Breno.

-Na mercearia do Seu Breno? Pensou Rose. Esse homem é muito bravo e não gosta das pessoas, e se eu ainda for lá sem dinheiro….

-Vá à mercearia de Seu Breno… repetiu a doce voz no seu coração.

Então a mãe cheia de fé se levantou e com um de seus pequenos foi à mercearia.

Chegando lá, estava seu Breno com cara de poucos amigos e disse para ela.

-Pois não senhora! Precisa de quê?

-Bem, veja só. Queria saber se o senhor pode me fazer um crédito… é que o meu marido está doente e…, disse a mãe conturbada sem saber ao certo o que dizer.

-Fiado? De jeito nenhum! Eu não vendo fiado pra ninguém e a senhora sabe muito bem disso! Da onde tirou a idéia que eu faria uma exceção com a senhora! Pode esquecer!!!

-É que… sabe… eu estava aflita pela nossa situação e orando, Deus me disse para vir aqui e …

-Deus? Ta brincando!! Ele lhe deu meu endereço e o meu telefone??! Kkkkkk! Veja senhora, eu não acredito em Deus, e quer saber quem me ajuda aqui? Não é Deus não, é o meu braço, meu trabalho, meu suor! Há anos que trabalho e por isso não vendo fiado, porque o que tenho custou muito!! Com certeza a senhora se equivocou!! Mas quer saber? Para a senhora não ficar com dúvida, acabo de ter uma idéia fantástica! Veja aqui tenho uma balança de contrapeso que pertenceu ao meu avô! Ela já está aposentada, mas vamos fazer o seguinte. A senhora me dá a lista de compra, a gente coloca a lista num dos pratos da balança e eu darei de graça em mantimentos o quanto a lista de compras pesar.

A mãe pegou uma caneta e um papel, fez uma breve oração e começou a escrever com firmeza. Depois de uns minutos entregou o bilhete para seu Breno, que com ar de zombaria estava ajeitando a balança no meio do balcão.

Quando Seu Breno colocou o papel no prato da balança, algo incrível aconteceu. O prato desceu tudo! Seu Breno esfregava os olhos sem saber o que fazer! O que seria aquilo…. como era possível!!!

O homem espantado começou a colocar os mantimentos no outro prato da balança. Como a escala da balança não equilibrava, ele continuou colocando mais e mais mantimentos até não caber mais nada. Era uma montanha de mantimentos que encheram duas sacolas.

A mãe muito emocionada, levantou os braço louvando ao Senhor, tomou o seu filho nos braços e juntos agradeceram. Mais uma vez Deus tinha sido fiel!

Com grande alegria pegou as sacolas e saiu da mercearia não sem antes agradecer com um abraço apertado ao Seu Breno que ficara boquiaberto.

Depois que a mãe saiu, o comerciante ficou parado ali por uns instantes olhando para a balança, tentando entender o que havia acontecido… Finalmente, ele pegou o pedaço de papel da balança e ficou espantado, pois não era uma lista de compras e sim uma oração que dizia: “Obrigada Senhor porque a tua Palavra diz: jamais vi o justo desamparado, nem a sua descendência a mendigar o pão!”

- Valeu cada centavo.. Acho que a partir de hoje deixarei de confiar no meu braço , pensou Breno com um sorriso de satisfação.

O MENINO DO BARRIL

No centro de uma grande cidade, vivia um menino chamado Barnabé. Era pobre vivia sempre com fome e não sabia o que era ser amado por alguém. Seu pai e sua mãe haviam sido pessoas muito más e devido à vida que levavam foram cedo para a sepultura. O único lar que Barnabé conhecia foi um grande barril colocado atrás de uma das grandes lojas. Ele era conhecido como o menino do barril.

Durante o dia Barnabé vendia jornais nas ruas de mais movimento, conseguindo somente o dinheiro necessário para satisfazer parcialmente sua fome. Quando chegava a noite ia para o barril, encolhia-se sobre um velho casaco e tentava esquecer-se de que estava sozinho, com frio e com fome.

Era uma noite de inverno, quando vagava ao longe de uma rua sombria olhando os objetos colocados nas vitrines das lojas… Ouviu os suaves acordes de uma música. Acompanhando esse som, foi ter no edifício de uma loja que estava repleta de luz. Na janela ele viu estas palavras: “Missão Evangélica” Seja bem-vindos Pensando que tal vez estivesse quente lá dentro…

Abriu um pouco a porta e avistou e avistou uma senhora simpática em pé diante de um grande auditório cantando: Por mim morreu Jesus… Penetrou furtivamente através da porta e encontrou lugar no último banco. Logo em seguida um homem de olhar bondoso dirigiu-se para frente, falou as pessoas presentes e leu em voz alta num livro ao qual chamava: A preciosa palavra de Deus.

FOLHA PRETA
Disse-lhes que seus corações estavam cheios de pecado porque a Bíblia diz que… Barnabé ouviu e prestou atenção a tudo que ouviu. Ler a Bíblia em Romanos 3:23
(preta ou suja) (Falar do pecado)
O homem apresentou o caminho da salvação de modo tão simples e claro que no fim do trabalho quando fez o apelo, muitas pessoas vieram a frente desejosas de aceitar Jesus como seu Salvador. Entre esse grupo de pessoas despercebido por muitos, estava o pequeno Barnabé.

Acabado o culto o pastor sentou com Barnabe. Explicou que a unica maneira de ter um coração branquinho era pedir para Jesus lavar o seu coração com o Seu sangue. Pois Jesus tinha morrido em nosso lugar, ele tinha pagado por todos os nosso pecados.

FOLHA VERMELHA (FALAR DO SANGUE DE JESUS)
Barnabé ficou emocionado com o amor de Jesus e também muito arrependido pelos seus pecados e então reconheceu que era pecador e quis que o maravilhoso Salvador tornasse o seu coração branco como a neve e o salvasse, pois assim ele iria viver no céu com Jesus.

FOLHA BRANCA
O coração de Barnabé ficou branquinho, todo limpinho. O pastor falou-lhe mais coisas a respeito de Jesus e Barnabé aceitou Jesus como seu único Salvador. Depois o homem lhe deu um pequeno evangelho de João e ele voltou para o barril. Daquele dia em diante, Barnabé foi um menino completamente diferente.

Seu coração agora brilhava, Barnabé abriu seu coraçãozinho, e, Cristo entrou.
Fazia com que todos com quem se encontrava vissem a luz de Jesus brilhar em seu coração. Barnabé agora tinha um novo coração, Jesus havia limpado todo seu coração.

Chegando o inverno, Barnabé tremia de frio porque não tinha roupas com que se aquecer. A noite no seu barril, sentia muito frio, e, finalmente adoeceu gravemente. Ficou tão mal que não podia sair do seu barril permanecendo lá deitado, sofrendo muito e soluçando.

Um dia um guarda passava por aquele beco, ouviu os soluços e chegando até o barril achou o doentizinho, tomou em seus braços e levou-o para o hospital de uma grande cidade, onde o levaram e deitaram-no em um leito macio entre lençóis e cobertores quentes.

Deram-lhe alimentos quentes e deliciosos e ficaram vigiando até que ele adormecesse. No dia seguinte quando os enfermeiros perguntaram se ele queria alguma coisa, pediu que lhe trouxessem uma bíblia e lessem qualquer coisa a respeito do Senhor Jesus, que morrera por ele. As enfermeiras que não eram salvas e não amava ao Senhor Jesus, não satisfizeram Barnabé. Quando o médico veio vê-lo já bem tarde, achou-o muito fraco e viu que não teria muitos dias de vida. Então o médico e as enfermeiras que já gostavam dele e sabiam que ele não viveria…

Então uma enfermeira tomou a mão de Barnabé e orou com ele, do jeito que podia, entregando essa situação a Jesus, pedindo para que a presença do Senhor enche-se aquele lugar. Barnabé que já era filho de Deus abriu um lindo sorriso, parecia que alguém estava falando com ele. A paz e o amor de Deus inundou aquele lugar, todos podiam sentir.

Barnabé morreu naquela noite, mas foi morar com aquele que pagou tudo por ele.

FOLHA AMARELA ( Falar do céu)

Encontrou também uma linda coroa que estava preparada para ele. Era a coroa da alma vencedora.

Barnabé tinha o seu nome escrito no “O Livro da Vida” porque confiara a sua vida a Jesus.

Lá ele viu ainda a brilhante Estrela da Manhã… – O Senhor Jesus, que com os seus braços abertos vinha para abraçá-lo e consolá-lo.
Barnabé nunca teria chegado ao céu se o bom pastor não houvesse procurado quando era cordeirinho e pecador, tornando seu coração branco como a neve.

O DONO DO MEU CORAÇÃO

Era a noite do 31 de dezembro, e na casa de Gladis reinava a alegria, todos esperavam emocionados a chegada do ano novo.
As crianças cantavam felizes, o pai e a mãe organizavam a janta -que prometia ser deliciosa e abundante. Todos estavam felizes.

Todos menos Gladis, que nesse dia havia brigado com os seus irmãos. Bateu boca com suas coleginhas, respondeu mal a sua mãe e desobedeceu ao seu pai quando pediu pra arrumar a mesa. Quando sua avó pediu pra comprar um refrigerante ficou com o troco.
Gladis estava mal-humorada. Achava uma cafonice isso de fazer janta com a família, avos, tios, primos, etc. Na final, com certeza fariam à pergunta que sempre faziam pra ela.
-Gladis, quem e o dono do seu coração? -Todos eles falavam sempre do amor de Jesus, mas Gladis não fazia caso de nada. Preferiu então ir no quarto e dormir.

Muito lentamente os seus olhos se fechavam e de repente um senhor bem idoso de longa barba branca se aproximou da sua cama e lhe disse:
-Venha comigo filinha, antes de ir embora quero que me acompanhe num passeio.
Assombrada Gladis olhou bem pro velhinho que parecia cansado, e então decidiu acompanhá-lo. Estava muito entediada naquela noite e caminhar parecia um ótimo programa.
Eles andaram e andaram ate que chegaram à frente de uma casa muito estranha.

O idoso se deteve na frente e então abriu a porta, os dois entraram. A casa estava em trevas. Havia mau cheiro e tudo estava muito bagunçado. Gladis se esforçava muito para enxergar alguma coisa. Quando de repente…


Ohhhhhhhhhhhhhhhhh que seres espantosos havia naquela casa. Gladis mal podia crer o que via. No centro da sala havia um ser horrível sentado num trono, e ao redor dele vários outros seres nojentos, mau vestidos e apavorantes.
Lentamente se aproximou um deles e ela perguntou:

- Quem é você e o que está fazendo neste lugar?
Eu sou a senhora mentira! A dona desta casa me usa muito, em todo momento sou requisitada. Ela me chama para ajudá-la a responder aos seus pais, também quando está com as suas colegas e com os seus irmãos!. Ah, estava me esquecendo, na escola eu sou muito usada também. Sabe? Eu sou muito criativa e sempre estou preparada para salvar a pele da minha dona. Hahahahaha.
A mentira deu uma gargalhada tão feia, que Gladis ficou toda arrepeiadinha.

Após esta horrível senhora veio outra, tal vez mais feia que a anterior! Tinha um aspecto tão agressivo!
-Eu sou a senhora briga! E a dona de esta casa sempre me chama para que resolva uns assuntinhos pra ela. Comigo não perde nenhuma disputa! Eu sei morder, chutar, cuspir, puxar cabelo, falar palavrões, dar uns tremendos socos, jogar pedras, eu sei fazer exatamente tudo o que minha dona assiste na tv. Eu sou muito suja! Hahahahaha. Na escola e nas brincadeiras sempre solicitam minha presença. Você quer brigar, cabecinha de fósforo!?
Gladis se assustou e retrocedeu uns passos e esbarrou nalguma coisa.


- Eii, cuidado onde você pisa! Não ta vendo que estou de sapatos novos?
- Perdão! -Disse Gladis aponto de chorar.
- Sem problemas, eu sou a dona vaidade! A dona desta casa anda comigo todos os dias. Eu sempre quero mais e mais. Não tô nem ai com ninguém, eu quero ser a primeira em tudo, eu quero comprar tudo o que vejo, e se não comprarem faço uma baita de birra. Você precisa de ver!! Hahahah. Eu fico com os trocos, roubo dinheiro dos meus pais e avós para comprar o que quiser! Gosto de esnobar os outros quando minha dona compra algo novo. Eu não deixo que minha dona pense noutras pessoas. Eu gosto de ser o centro, e…. olha só meu cabelo ta uma bagunça vou dar uma ajeitada nele. Até mais!

Gladis mal podia crer no que via. Que casa mais apavorante era essa! De repente ouve umas gargalhadas, vira com receio e enxerga um outro ser deitado num sofá.
-Oi! Eu sou a senhora preguiça! A dona da casa também me usa sempre, eu sou a sua fiel serva! Quando a mãe dela a chama para ajudar, limpar, arrumar quarto, fazer tarefa de casa… nossa só de pensar fiquei enjoada! Em fim, eu sempre apareço e sentamos na frente da tv, ou do vídeo game, e não fazemos nada!! Eu tenho preguiça até de tomar banho, de ir na escola, de fazer mandados, de limpar… Ehhh Me dá licença? To perdendo a minha novela favorita, sai da frente da tv fazendo favor! Eu não perco nenhum capítulo!

Hahahahaha –ria o homem horrível que estava sentado no trono. E com voz de mando disse:
-Nesta casa eu mando. Eu sou o rei PECADO, e estes são os meu servos. E a cada ano que se passa eles aumentam nesta casa. Daqui ninguém nos manda embora! NINGUÉM!
E fazendo uma pausa silenciosa disse…
-Bom, na verdade existe alguém que pode nos expulsar, mas você nunca saberá, nunca… hahahahaha.
Gladis começou a chorar desconsolada.
O ancião a tomou da mão e lhe disse:
-Venha comigo, quero lhe ensinar algo. Eu vou te falar da pessoa que não quiseram te falar.

Figura 11
Saindo da casa logo chegaram a um monte e ali havia um homem pendurado numa cruz.
-Ohh porque esse homem tem que sofrer e morrer assim?
O Homem da cruz levantando a sua cabeça disse:
-É por você, Gladis.

- Mas porque você derrama o seu sangue dessa maneira?
O homem respondeu:
-Para poder lavar os teus pecados, é a única maneira de tirar os pecados do coração.

Enquanto Gladis pensava no que ouvia, se achou novamente no seu quarto, e ali também estava aquele homem maravilhoso que havia estado na cruz. Mas agora estava vivo! E estendia os seus braços em amor, e dizia:
-Filha, deixa que entre na sua vida, estou batendo na porta do seu coração, permita que eu seja o dono do seu coração.
Gladis não entendia direito o que isso queria dizer. Ela lembrou da pergunta que sempre a sua avô fazia. Quem é o dono do teu coração?

Então o velinho explica:
Filinha, sabe aquela casa que fomos visitar? É o teu próprio coração, ele está cheio de coisas feias. Preguiça, vaidade, brigas, mentiras, roubos, está cheio de pecados.
Mas Jesus, o filho de Deus pagou na cruz o castigo por cada coisa má e feia que você fez. Ele deu a sua vida por você, morreu, mas ao terceiro dia ressuscitou. E agora está esperando que você abra a porta da sua vida, para que todos aqueles pecados sujos sejam expulsos do seu coração, e assim Jesus possa ser o novo dono, o senhor do seu coração!
Eu sou o ano velho, e já estou indo embora pra não voltar mais. Você nunca foi feliz neste ano, porque o seu coração estava cheio de trevas e pecados. Eu já estou indo… Tome a decisão logo filinha, que neste ano novo, Jesus possa ser O DONO DO SEU CORAÇÃO…

O ancião virou e começou a ir embora. Nessa hora fogos começaram a estourar, luzes e muita alegria se ouvia desde a janela.

Gladis acordou assustada! Tudo tinha sido um sonho, mas que verdadeiro que pareceu pra ela! Que alegria poder tomar uma decisão tão importante neste ano novo!

Então Gladis se ajoelhou do lado da cama e com muita reverencia orou:
- Senhor Jesus obrigada pelo sonho, ainda que eu não possa te enxergar sei que o Senhor está aqui. Eu me arrependo das coisas feias e dos pecados que cometi, me perdoa e limpa meu coração. Eu abro a porta do meu coração para que o Senhor entre, eu já não quero mais a mentir, nem a ser preguiçosa, nem vaidosa, nem quero brigar, eu não quero mais o pecado, só o Senhor pode tirar as coisas feias que tenho aqui dentro e desde hoje Senhor Jesus te convido para que sejas O DONO DO MEU CORAÇÃO, quero amar-te, obedecer-te e servir-te sempre!!!!

Gladis se levantou muito feliz, por primeira vez se sentia completamente alegre, leve, parecia como que tivessem tirado um grande peso das suas costas. Jesus tinha lavado o seu coração e tirado todos os seus pecados e se sentia livre. Ela pulava de alegria, abriu a porta do seu quarto e correndo gritava para todos: JESUS É O DONO DO MEU CORAÇÃO, JESUS É O DONO!!! ALELUIA!!!. Essa era a melhor noticia para toda a família, que agora abraçados e com os olhos cheios de lágrimas, agradeciam a Deus pelo abençoado ano novo!

Conclusão:
E você amiguinho, como está o seu coração neste momento? Você tem brigado, mentido ou pegado alguma coisa que não é sua? Você tem feito coisas que não agradam a Deus? Isso tem um nome, se chama pecado. Jesus pode tirar todas essas coisas más do seu coração e se tornar o dono da sua vida. Você quer abrir a porta do seu coração para que ele entre e seja o Senhor?

“Eu estou à porta e bato. (disse Jesus) Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, eu entrarei na sua casa, e nós jantaremos juntos.” Apocalipse 3:20
Related Posts with Thumbnails